Estilos Musicais de M - R

Maracatu

O Maracatu de Baque Virado, ou Maracatu Nação é uma brincadeira popular urbana de forte cunho religioso, encontrada no Recife, Pernambuco. É uma manifestação de origem africana inserida no ciclo carnavalesco. Simboliza, entre outras coisas, a coroação dos reis do Congo, feita em forma de cortejo. O cortejo é composto por uma orquestra de percussão, formada por alfaias, abês, ganzás, atabaques, taróis e gonguê, além de uma voz solo e o coro de vozes. Participam ainda diversos personagens da corte real (rei,rainha, escravos, vassalos, etc.). Os Maracatus são mantidos de geração a geração pelo esforço dos integrantes das comunidades. A Nação Estrela Brilhante do Recife é uma dessas comunidades, localizada no bairro do Alto José do Pinho, que completou cem anos de fundação no último dia 16 de julho.
Maracatu de baque virado, que é uma manifestação regional do nordeste brasileiro. Surgido em Pernambuco por volta de 1700 quando os escravos trazidos da África, na tentativa de manter suas origens religiosas, realizavam seus cultos e cerimônias, o maracatu é hoje uma das principais manifestações culturais do Estado. Com origem nas cerimônias de coroação dos “Reis do Congo”, em que cada uma das tribos africanas trazidas para o Brasil(chamadas nações africanas) coroava ou confirmavam ao seu rei o papel de líder interno das comunidades escravas. Diplomaticamente ao fim estas coroações e em datas festivas, os negros em procissão visitavam as autoridades portuguesas, incluindo a igreja católica. Aqui no Estado de Santa Catarina o maracatu de baque virado teve como marco inicial a visita em Fevereiro de 2002 de Nêgo Véio, batuqueiro do grupo Trovão de Minas de Belo Horizonte, e outras que foram ocorrendo dentre elas a oficina do mestre Walter de França, regente da Nação Estrela Brilhante do Recife, Mestre Chacon da Naçao do Maracatu Porto Rico, Mestre Afonso da Naçao Leao Coroado.
Em Recife, Pernambuco o Maracatu é uma manifestação que já nasce dentro das pessoas, desde pequeno já se ouve, se vê na rua, se vive o Maracatu. Recife é uma capital, um grande centro, e como todo grande centro há uma grande periferia, regiões de exclusão social, uma pobreza enorme, e de uma certa forma as pessoas envolvidas com o Maracatu, que levam uma vida muito sofrida, quando estão tocando o seu tambor liberam uma felicidade e alegria que em nenhum outro rosto se registra. Mesmo com todos os seus problemas de vida, financeiros e sociais, eles tem a oportunidade de trabalhar o seu lado artístico, não vêem apenas a marginalidade como saída, e sim amam o que fazem.


Nazaré dos Maracatus

Modinha

Modinha é um tipo de composição musical cuja denominação é atribuída a Domingos Caldas Barbosa.
A modinha é considerada um gênero de composição portuguesa, provavelmente surgida das elites governantes no Brasil Colónia. Por volta do século XVII já se ouvia pelas ruas da Bahia uma música tocada na viola com marcação em staccato que tinha letra de caráter pagão.
Nascida no Brasil no século XVII, a modinha teve seu primeiro momento de glória na década de 1770, quando foi apresentada na corte de Lisboa pelo poeta, compositor, cantor e violeiro Domingos Caldas Barbosa (1740-1800). O grande sucesso alcançado pelo gênero – denominado modinha para diferenciar-se da moda portuguesa – levou músicos eruditos portugueses a cultivá-lo, só que de forma requintada, adicionando-lhe características da música de ópera italiana. Assim, aproximaram a cantiga colonial das árias portuguesas, praticamente transformando-a em canção camerística. Foi com esse feitio que ela voltou ao Brasil no início do século XIX.
Ao mesmo tempo suave e romântica, chorosa quase sempre, a modinha seguiu então pelo resto do século como o nosso melhor meio de expressão poético-musical da temática amorosa. Composta geralmente em duas partes, com predominância do modo menor e dos compassos binário e quaternário, a modinha do período imperial jamais se prendeu a esquemas rígidos, primando pelas variações. O primeiro modinheiro a se destacar no começo dos oitocentos foi o compositor Joaquim Manoel.

Joaquim Manoel

Música Popular Brasileira ( MPB )

A Música Popular Brasileira (MPB) é um gênero musical brasileiro. Apreciado principalmente pelas classes médias urbanas do Brasil, a MPB surgiu a partir de 1966, com a segunda geração da Bossa Nova. Na prática, a sigla MPB anunciou uma fusão de dois movimentos musicais até então divergentes, a Bossa Nova e o engajamento folclórico dos Centros Populares de Cultura da União Nacional dos Estudantes, os primeiros defendendo a sofisticação musical e os segundos, a fidelidade à música de raiz brasileira. Seus propósitos se misturaram e, com o golpe de 1964, os dois movimentos se tornaram uma frente ampla cultural contra o regime militar, adotando a sigla MPB na sua bandeira de luta.
Depois, a MPB passou abranger outras misturas de ritmos como a do rock e o samba, dando origem a um estilo conhecido como samba-rock, a do música pop e do Samba, tendo como artistas famosos Gilberto Gil, Chico Buarque e outros e no fim da década de 1990 a mistura da música latina influenciada pelo reggae e o samba, dando origem a um gênero conhecido como Swingue.
Apesar de abrangente, a MPB não deve ser confundida com Música do Brasil, em que esta abarca diversos gêneros da música nacional, entre os quais o baião, a bossa nova, o choro, o frevo, o samba-rock, o forró, o Swingue e a própria MPB.

Cantores de MPB

Pagode

O pagode é um gênero musical brasileiro originado no Rio de Janeiro a partir da cena musical do samba dos fundos de quintais. Esta é a forma pejorativa e preconceituosa que esta palavra assumiu.
Na verdade, o pagode não é exatamente um gênero musical. Pagode era o nome dado às festas que aconteciam nas senzalas e acabou tornando-se sinônimo de qualquer festa regada a alegria, bebida e cantoria. Prova de que o nome em nada tem a ver com o rítmo, é a música Pagode de Brasília gravada por Tião Carreiro em 1959, cuja roupagem em nada lembra nenhuma das variações do samba.
O termo pagode, começou a ser usado como sinônimo de samba por causa de sambistas que se valiam deste nome pra suas festas, mas nunca o citaram como estilo musical. Isso pode ser bem percebido pela letra "Pagode do Vavá" de Paulinho da Viola, "Pagode pra valer" de Leci Brandão ou qualquer outra do grupo Fundo de Quintal, considerado por muitos o primeiro grupo de pagode do Brasil.

Grupo Exalta Samba


Reggae

O Reggae é um estilo de música originário da Jamaica. Bob Marley, cantor e compositor, é o ícone deste estilo musical. Em sentido mais amplo, Reggae pode referir-se a outros ritmos como ska, rocksteady, dub, dancehall e ragga. Original da década de 60, o ritmo divide-se em dois subgêneros, o "roots reggae" (o reggae original) e o "dancehall reggae", que é originário da década de 70. O reggae é constantemente associado ao movimento rastafari, que, de fato, influenciou muitos dos músicos apologistas do estilo reggae nas décadas de 70 e 80. De qualquer maneira, o reggae trata de vários assuntos, não se restringindo à cultura Rastafari, como o amor, o sexo e principalmente a crítica social. Origem Rastafari é um movimento religioso que proclama Haile Selassie I, imperador da Etiópia, como Jah (Deus para Rasta) reencarnado. Esse termo advém de uma forma contraída. De Jeová encontrado no salmo 68:4 na versão da Bíblia do Rei James, e faz parte da trindade sagrada o Messias prometido. O nome Rastafari tem sua origem em Ras (duque ou chefe) Tafari (príncipe da paz) . Makonnen, o nome de Haile Selassie I antes de sua coroação. O movimento surgiu na Jamaica entre a classe trabalhadora e camponeses negros. Em meados dos anos 30, iniciado por uma interpretação da profecia bíblica em parte baseada pelo status de Selassie como o único monarca Africano de um país totalmente independente e seus títulos de Rei dos Reis, Senhor dos Senhores e o conquistador do Leão de Judá. Alguns historiadores afirmam que o movimento surgiu, e teve posteriormente adesão, por conta da exploração que sofria o povo jamaicano, o que favorece o surgimento de idéias religiosas, vide a Guerra de Canudos e Guerra do Contestado, as quais tiveram seus respectivos líderes messiânicos. Outros fatores inerentes ao seu crescimento incluem o uso sacramentado da Maconha ou Erva, aspirações políticas e afrocentristas, incluindo ensinamentos do publicista e organizador Jamaicano Marcus Garvey (também freqüentemente considerado um profeta), o qual ajudou a inspirar a imagem de um novo mundo com sua visão política e cultural. O movimento é algumas vezes chamado Rastafarianismo, porém alguns Rastas consideram este termo impróprio e ofensivo. O movimento Rastafari se espalhou muito pelo mundo, principalmente por causa da imigração e do interesse gerado pelo ritmo do Reggae; mais notavelmente pelo cantor e compositor de Reggae jamaicano Bob Marley. Em 2000 haviam aproximadamente 1.000.000 de seguidores do Rastafaris pelo mundo. Por volta de 5% dos Jamaicanos se identificam com Rastafari. Muitos dos Rastafari são vegetarianos, ou comem apenas alguns tipos de carne, vivendo pelas leis alimentares de Levítico e Deuteronômio no Antigo Testamento. Significado do nome O nome reggae surgiu por causa do som que faz na guitarra. O "re" seria o movimento pra baixo, e o "gae", o movimento pra cima. O mesmo acontece com o ska, o nome é derivado do som que é reproduzido na guitarra. O Reggae e a Sociedade Uma das características que podem caracterizar o reggae é a crítica social, como por exemplo cantar a desigualdade, o preconceito, a fome e muitos outros problemas sociais pra tentar desviar os olhos do povo pra isso, um modo de alertar e incentivar o povo a se mobilizar contra seus problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário